quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Pequenos poderes

O poder é algo que fascina. Quem nunca sonhou em ter superpoderes? Ou então em ser alguém muito poderoso na sociedade? Ou em ter poderes paranormais? Se bem que de tanto o Padre Quevedo dizer que é tudo “una grand mentira”, eu tô quase acreditando. Acontece que tem gente que tem um pequeno poder que se você parar pra pensar chega a ser inofensivo. Mas é inofensivo, até o dia em que você se depara com o detentor desse poder. Jamais desdenhe dos donos dos pequenos poderes. Eles são capazes de acabar com o seu humor em segundos. Duvida? Então lá vai:


Cobrador de ônibus: Um belo dia você sai de casa atrasado, apressado, corre pro ponto de ônibus, consegue pegar o seu ônibus, mas aí, você esqueceu o dinheiro. E aí você se depara com ele: o cobrador. Do alto de seu banco elevado, sua camisa azul e a unha do mindinho comprida, fazem dele o senhor do seu destino. Se ele não for com a sua cara, você não passa. Se ele for, deixa você passar sem pagar, mas não é passar assim, de qualquer jeito não. Você tem de se humilhar perante o guardião da catraca, passando por baixo. O detalhe é que geralmente nesse dia, você saiu de casa de camiseta branca.


Empregadas: Donas de uma incrível capacidade de esconder suas coisas, e de uma capacidade maior ainda de quebrar suas coisas, as empregadas domesticas podem transformar o que você chama de lar, no reduto de Satã. Em suas mãos, liquidificadores não trituram, microondas não aquecem e ferros de passar superaquecem. Se algum dia perguntarem se no seu relacionamento algo rachou o vaso, pode ter certeza que foi a Severina. Mas se é ruim com elas, pior sem, porque quando elas faltam, aí é que sua mulher fica fula da vida. Aí, já viu pra quem sobra né campeão?


Atendente de Telemarketing: Geralmente detentores de nomes esdrúxulos, os atendentes de telemarketing não acabam com seu humor rapidamente. Eles são sádicos, mordazes e cínicos. Com seus telefones no estilo Madonna e frases no gerúndio, eles vão estar minando sua paciência aos poucos. Para eles, o cancelamento de uma linha telefônica ou cartão de crédito é um insulto pessoal. Eles vão estar fazendo de tudo para que você desista de tamanha atrocidade. E eles conseguem. Principalmente pelo cansaço. E pode ter certeza que, se você já sucumbiu perante um atendente de telemarketing, você já foi assunto na rodinha de bar dos atendentes onde estavam Katimiléne, Flávio Alberto, Suélen Francisca e Kelvin Celsus.
Como eu queria estar estando de frente com um desses atendentes. Principalmente desses que ligam as 8 da manhã de sábado. Eu ia estar estando dando um belo dum murro no peito deles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário